Professores e alunos do Pandiá Calógeras aprovaram o programa

Ong combate exclusão em escola

Reportagem extraída do jornal O TEMPO,  em 13/02/2008

Ensinar crianças a enfrentar e aceitar diferenças é a proposta do trabalho realizado pela organização não governamental (ONG) canadense AboutFace no Brasil. Com o programa Enfrentando Diferença, a instituição vem promovendo, desde agosto de 2007, palestras e atividades em escolas públicas e privadas de Belo Horizonte, combatendo os preconceitos e exclusões entre os alunos.

De acordo com a presidente da ONG no Brasil, Elizabeth Maria Gonzaga de Moura, o objetivo central do programa é promover o respeito ao próximo e a autoestima. A AboutFace executa esse trabalho há 23 anos, desde 2006 no Brasil.

“Inventar apelido para colegas de escola é prática normal entre as crianças. Porém, muitos deles são de mau gosto, que podem ofender e inibir a pessoa. Excluir um colega por ele ter orelhas de abano, usar óculos, ser gordinho, ter vitiligo ou deficiências físicas também acontece muito. O que queremos mostrar para essas crianças é que não importa se seu colega é diferente ou tenha algum problema, ele merece o mesmo respeito que todos”, disse Elizabeth.

O programa já foi apresentado a quatro escolas de Belo Horizonte e contou com a participação de cerca de 1.500 alunos. Uma delas foi a Escola Estadual Pandiá Calógeras, localizada no bairro Santo Agostinho, região Centro- Sul, onde o resultado já pôde ser percebido pelos educadores. A previsão para este ano é que mais instituições da capital e de outras cidades do país participem.

De acordo com a diretora da Pandiá Calógeras, Tânia Maria Silva, o entrosamento entre os alunos e o respeito pelo próximo aumentaram muito. “Preconceito e exclusão acontece em todas as escolas. Mas estamos mudando esse cenário, ensinando as crianças a conviverem com as diferenças. As escolas têm a obrigação de transmitir essa consciência para seus alunos, para que sejam adultos mais abertos para as diferenças e mais respeitadores”, afirmou.

A diretora disse que os profissionais de sua escola também aproveitaram os ensinamentos do programa. “O preconceito existe em todas as faixas etárias. É importante que os educadores tenham essa consciência e transmitam esse sentimento de respeito para seu alunos”, ressaltou.

Música clássica

Outro projeto educativo da AboutFace Brasil será a divulgação de música clássica para os estudantes dos níveis fundamental e médio de escolas mineiras. De acordo com a presidente da ONG, essa iniciativa tem o objetivo de difundir o gosto musical entre os jovens, seguindo a linha do respeito pelo diferente.

“Muitas pessoas, principalmente as crianças e adolescentes, acham que música clássica é coisa de velho, sem graça e monótona. Queremos desmistificar esses preconceitos, apresentando recitais e organizando atividades interativas com os estudantes. A música clássica transmite tranquilidade às pessoas e está associada a idéia de disciplina e concentração, o que todos os alunos precisam”, explicou Elizabeth.

Os primeiros recitais acontecerão em Nova Lima e Sabará, na Grande Belo Horizonte, nos dias 21 e 23 deste mês, às 20h30. Nos recitais serão apresentadas obras de Jean Sibelius, Johannes Brahms, Robert Schumann e Alban Berg. Na ocasião, oficinas de piano e canto serão ministradas para os participantes, com o pianista mineiro André Dolabella e a cantora finlandesa Tiina Lönnmark.

Outros estilos musicais, com o rock, serão abordados em projetos futuros, de acordo com a presidente da ONG. “Começamos pelo clássico por ser um estilo muito distante da maioria das crianças. Queremos que elas aprendam a respeitar diversos estilos musicais”, afirmou.